sanare_blog02-abr22_saudeocupacional

6 motivos para investir na segurança e saúde ocupacional

SanareNoticiasComentar

Entenda porque você deveria investir em segurança e saúde ocupacional na empresa; dados mostram Brasil em 4º lugar no número de acidentes de trabalho

Os colaboradores são um dos bens mais valiosos de uma empresa, afinal, sem eles tudo simplesmente pararia, não é mesmo? Dessa forma, investir em segurança e saúde ocupacional se torna fundamental dentro da corporação, independentemente do ramo de atuação da mesma. E vale destacar que cada vez mais os próprios colaboradores estão tomando consciência sobre a importância desse investimento.

De início é preciso que fique claro que o investimento em saúde ocupacional bem como em segurança do trabalho não é benéfico unicamente para o trabalhador, pelo contrário, reflete diretamente na própria empresa e também nos seus resultados.

Implementar um consistente e sobretudo eficiente sistema para a prevenção de acidentes na empresa pode levar a redução dos gastos com afastamentos e doenças ocupacionais tão como melhorar a qualidade de vida dos funcionários e aumentar a produtividade tão como a sua satisfação frente seu ambiente de trabalho.

Nesse sentido vale mencionar que trabalhadores que se sentem valorizados em seu ambiente de trabalho produzem mais e possuem uma imagem melhor da corporação.

Veja abaixo em detalhes 6 motivos do porquê investir na segurança e saúde ocupacional na sua empresa.

1º Redução das doenças ocupacionais e do número de acidentes de trabalho

Os dados sobre acidentes de trabalho são preocupantes no país. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho, a OIT, o Brasil é o quarto país com o maior número de acidentes de trabalho em todo o mundo, ficando apenas atrás da China, Índia e Indonésia.

De acordo com dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança no Trabalho, foram registrados entre 2012 e 2016 mais de três milhões e meio de acidentes. Destes, catorze mil foram fatais.

O investimento em segurança e saúde ocupacional resulta na redução desses indicadores. Os empregadores que realizam o investimento em saúde ocupacional e em segurança do trabalho evitam significativamente situações nas quais a integridade física do trabalhador pode ser colocada em risco, bem como a sua própria vida. Além do trabalhador, a empresa também ganha uma vez que deixa de gastar com afastamentos, por exemplo.

2º Redução dos gastos

Já que falamos sobre custos, esse é algo que será perceptível para a equipe de gestão. Ao implementar um programa voltado para a saúde e segurança do trabalhador bem como em métricas que realizem o acompanhamento de seus resultados, será possível observar uma redução nos custos relacionados a afastamentos.

A redução dos custos se baseia em duas coisas fundamentais, uma é a redução dos gastos com licenças médicas tal como indenizações, assim como pela possibilidade de eliminação de um ambiente insalubre. Nesse caso a empresa pára de pagar adicional de insalubridade.

3º Evita processos e multas trabalhistas

Essa vantagem está invariavelmente ligada à anterior, mas merece um tópico à parte, especial. A segurança do trabalho consiste em uma das obrigações da empresa e está prevista na legislação trabalhista, dessa forma a empresa precisa estar preparada para o recebimento de inspeções de órgãos fiscalizadores.

O investimento em um sistema eficiente e adequado para a referida corporação no tocante a saúde ocupacional e a segurança no ambiente de trabalho reduz significativamente as chances de problemas quanto a fiscalização dos órgãos reguladores.

Com todos os seus processos funcionando de maneira adequada não tem porque a empresa ser punida ou penalizada e isso a faz trabalhar tranquilamente quanto a possíveis operações de fiscalização.

4º Melhora da imagem corporativa

Embora muitos empregadores não tenham esse objetivo quando decidem investir em saúde e segurança ocupacional, essa acaba sendo uma vantagem invariavelmente obtida.

Quando falamos sobre responsabilidade social, além do papel, além dos ideais unicamente pensados e efetivamente praticados, como em programas que favoreçam a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida do trabalhador, a empresa melhora substancialmente a imagem corporativa.

A responsabilidade social quando praticada se torna um fator de credibilidade para a empresa e mais do que isso transforma como ela se relaciona com o seu entorno.

Quando a empresa passa a realmente investir na saúde e no bem-estar dos trabalhadores tão como em sua segurança no ambiente de trabalho, consequentemente sua imagem corporativa melhora. Essa melhora é tanto entre os próprios colaboradores quanto o público externo. Claro que para esse segundo é necessário igualmente o investimento em uma prática de comunicação efetiva.

Vale destacar que a melhora da imagem corporativa consiste em um importante aliado para que o negócio se torne uma referência de excelência no ramo em que atua. Isso igualmente se reflete diretamente nos clientes também

5º Mais produtividade e motivação

Esse motivo está também relacionado ao tópico anterior, mas merece destaque especial. Engana-se quem pensa que o único fator motivacional de um colaborador está em sua remuneração, pelo contrário. Isso porque sentir-se valorizado tem igual papel para um funcionário de determinada empresa.

E quando a empresa realmente passa a investir em iniciativas que visam a saúde e a segurança do trabalhador em seu ambiente de trabalho, este se sente valorizado, consequentemente sua relação com o trabalho e a empresa melhoram, sua motivação aumenta e isso reflete igualmente em sua produtividade.

Por isso, empresas que investem em saúde, bem-estar e segurança dos seus trabalhadores colhem melhores resultados no tocante à produtividade e engajamento dos colaboradores.

6º A empresa deixa de ter certas responsabilidades

Quando a empresa tem um efetivo programa para prevenção a acidentes de trabalho, por exemplo, pode acabar sendo eximida de responsabilidades quando a ocorrência de acidentes. Claro que esse é apenas um exemplo, é preciso considerar cada caso e sua devida análise. Mas de modo geral, isso é possível.

Por exemplo, caso a empresa ofereça todos os equipamentos de proteção aos seus colaboradores, mas o trabalhador deliberadamente decide por não utilizá-los. Nesse caso a empresa não pode ser responsabilizada por um acidente envolvendo o não uso do equipamento.

Vale destacar que novamente é preciso analisar todas as nuances de cada caso uma vez que é dever da empresa a fiscalização quanto ao uso correto dos equipamentos de proteção.

Conheça a Sanare!

Somos uma empresa que presta serviços de assessoria em Segurança e Saúde no Trabalho às empresas e também temos o Dr. Sanare, uma clínica de especialidades médicas e exames complementares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.