GRO: o que é, funcionamento e importância para a empresa

SanareNoticiasComentar

O GRO, Gerenciamento de Riscos Ocupacionais, ajuda a localizar riscos no ambiente de trabalho e evitar acidentes por meio de um passo a passo. Conheça!

De modo geral, todo ambiente de trabalho possui riscos de acidentes. Quando um acontece, toda a equipe é afetada, incluindo a própria empresa, por isso é importante pensar em medidas preventivas — e é isso que sugere o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO).

A norma causou certa confusão em relação ao PGR, Programa de Gerenciamento de Riscos, mas apesar da semelhança entre os nomes, eles funcionam de formas independentes. Para entender melhor o que é o GRO, como ele funciona e sua importância para as empresas, basta continuar lendo.

Qual a diferença entre GRO e PGR?

Para entender melhor a diferença entre ambos os programas, é importante saber que o PGR foi pioneiro na luta pela prevenção de acidentes. No entanto, em 2019, ficou clara a necessidade de publicar uma visão mais atual sobre o tema, incluindo discussões que foram encontradas posteriormente. Foi assim que nasceu o GRO.

Ambos estão incluídos na NR-01, a norma regulamentadora de Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais.

Apesar de tratarem temas bem semelhantes, é o GRO que tem sido usado para guiar as empresas no desenvolvimento de estratégias preventivas, já que é mais atual e traz perspectivas mais recentes.

GRO: o que é?

O Gerenciamento de Riscos Ocupacionais, como o próprio nome já diz, foi desenvolvido para ajudar os integrantes de uma empresa a localizar e eliminar situações de risco.

De modo geral, serve como forma de guia: os profissionais conseguem saber melhor o que fazer, de forma prática, para evitar que os funcionários se machuquem ou até mesmo acabem morrendo.

Para tornar o processo ainda mais didático, existe um passo a passo que vai desde a análise do ambiente até a aplicação de medidas práticas para auxiliar nesse processo de guia.

A seguir, você poderá entender por onde começar a tornar sua empresa cada vez mais segura e eliminar possíveis zonas de risco. Confira!

Como funciona o GRO

Para que o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais seja realmente efetivo, é preciso seguir cada uma das etapas a seguir, pois elas só fazem sentido quando são executadas em conjunto.

O GRO possui quatro passos, sendo eles:

  • Identificação de perigos e riscos;
  • Análise e avaliação;
  • Eliminação ou controle;
  • Monitoramento e revisão.

Para entender o que cada um significa, basta continuar lendo!

1. Identificação de perigos e riscos

Este procedimento, apesar de ser inicial, tem grande relevância. Ele deve ser feito por pessoas que tenham o olhar crítico para analisar o contexto completo da empresa, pontuando cada ambiente de risco.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, essa não é uma tarefa estática para ser feita apenas uma vez, como no começo do ano ou algo assim. Pelo contrário, o processo de identificação de perigos e riscos deve ser feito constantemente para analisar cada novo problema que pode surgir no decorrer do tempo.

2. Análise e avaliação

Todos os riscos identificados anteriormente possuem o mesmo nível de gravidade? Provavelmente não.

Na segunda etapa, a tarefa é avaliar cada um dos pontos levantados anteriormente como forma de hierarquizar o que deve ser feito primeiro. Ou seja, qual problema pode afetar mais negativamente o espaço? Quais podem aguentar por mais tempo para serem resolvidos.

Quando isso é feito, enfim, é possível partir para a parte prática.

3. Eliminação ou controle

Com a ordem de riscos e perigos mais alarmantes, é possível desenvolver um plano de execução para cada um deles de acordo com a ordem de prioridades.

No entanto, é importante ter em mente que nem todo problema pode ser eliminado completamente. Quando algo assim acontece e foge do controle, basta focar em tentar controlá-lo ao máximo para que o perigo seja o mais baixo possível.

4. Monitoramento e revisão

Quando a lista de riscos identificados for ficando cada vez menor, é um bom sinal de que as devidas providências estão sendo tomadas.

Porém, uma decisão nem sempre vai dar certo logo de primeira, por isso é tão importante investir no monitoramento a cada etapa. Caso algo não seja efetivo, basta pensar em outra estratégia e avaliar novamente o desempenho.

Por fim, outro passo essencial é retornar à etapa da observação, como falamos no começo. Dessa vez, a intenção é analisar se a solução dos problemas foi feita da melhor forma possível, avaliando a execução e procurando melhorias a serem feitas no futuro.

Será que os riscos continuam ou foram amenizados? Tudo isso serve como dado para ser armazenado, afinal, constitui uma parte importante da empresa que pode ser buscada futuramente.

Qual a importância do GRO?

Como deu para perceber, o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais é de grande relevância para manter o ambiente de trabalho organizado, seguro e saudável. É uma fonte de vantagem para todos os nichos do negócio.

Ao mesmo tempo em que os funcionários evitam acidentes, os donos da empresa podem economizar com processos trabalhistas e ainda demonstram o quanto a vida dos trabalhadores é importante.

De modo geral, o GRO só traz vantagens!

Conheça a Sanare! 

Somos uma empresa que presta serviços de Assessoria em Segurança e Saúde no Trabalho às empresas e também temos o Dr Sanare, uma Clínica de Especialidades Médicas e Exames Complementares. Aproveite para acessar o site e conhecer nossos serviços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.